segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Sentimentalismos ...


O fim de semana foi pouco produtivo no que diz respeito a trabalhos manuais. Outras prioridades ...
No entanto, bem lá no fundo do baú, fui encontrar este cavalo e o motivo pelo qual mereceu atenção foi o facto de já ter sido feito há muitos,  muitos anos ... foi dos primeiros trabalhos que bordei a ponto cruz, lembro-me que usei as linhas da minha mãe e as cores, foi o que havia na caixa ... Achava que o esquema era muito pequeno, por isso, por cada ponto no esquema, eu fiz quatro pontos e assim dupliquei o tamanho do cavalo.

Mas o mais interessante deste cavalo são as lembranças que trás,  a vida que era bem diferente, nem melhor, nem pior, simplesmente diferente ... lembro-me que por esta altura lia um livro de Milan Kundera que nunca terminei, porque simplesmente achei intragável ... será que se voltasse a ler este livro, agora passados tantos anos, iria gostar ? 

Este cavalo, provavelmente nunca terá direito a moldura, mas tem concerteza um lugar especial no baú das recordações, pela ternura que me inspira e pela docura do olhar do cavalo, que talvez só os meus olhos a vejam ... 

1 comentário:

  1. Está tão lindo que devia ter direito a moldura

    beijinhos Luisa

    ResponderEliminar