domingo, 10 de outubro de 2010

Craquelando


    Ora cá está mais um termo novo no meu dicionário: Craquelar!!

    Estava decidida a experimentar esta técnica, pois acho o efeito bem interessante, mas não sabia por onde começar. Fiz uma pesquisa rápida na internet, fiquei com umas "luzes" e lá vou eu para a minha lojinha de eleição, onde a dona está sempre disposta a ensinar. A um passo da entrada, instalou-se no meu cérebro uma dúvida, não direi existencial, mas pelo menos pertinente:  Como é que se diz? Craquelé, ou Craquelê? E foi, ainda com esta questão na cabeça, que pedi à senhora tintas de craque... e o resto não disse, tossi, espirrei, bocejei, nem sei já ... mas sei que não disse a última sílaba. Para bom entendedor meia palavra basta e a senhora mostrou-me o que tinha, desde o mais caro, ao mais barato. E é então que se instala a 2ª dúvida: E agora, o que é que eu faço com isto? Sempre atenciosa, a senhora iniciou uma longa explicação. Entretanto resolveu o meu primeiro inigma, diz-se Craquelê. Durante a explicação ouvi palavras que nunca pensei existirem: Craquelar, Craquelado, Craquelador, e por ai fora. Confesso que me distrai (mas só um bocadinho) durante a explicação a pensar se esta palavra existiria mesmo no dicionário, e perdi-me um pouco a tentar conjuga-la " eu craquelo, tu craquelas, ele craquela ..."
    Quando cheguei a casa, e já a saber "craquelar" (pelo menos na teoria ) a primeira coisa que fiz foi ir ao dicionário ver se a palavra existia ... e ...ohhhh ... não há o verbo craquelar ...procurei em vários dicionários, mas nada. Foi então que pensei,  deve ser como o verbo "stress" que já o conjugamos de todas as maneiras e feitios e a palavra não existe nos dicionários portugueses. Mas, por via das dúvidas fui confirmar e desengano dos desenganos, lá estava no dicionário da Porto Editora o verbo stressar ... verbo transitivo, que significa provocar stress ou tensão em ... ou verbo intransitivo, que significa estar num estado de stress ou tensão.
E já agora, sabiam? Pois eu não ...

    Quanto a Craquelar, também ainda não sei muito bem, mas depois desta experiência acho que consegui perceber porque o craquelê não ficou uniforme, tem a ver com a tinta que tem uma consistência pastosa, e onde a camada fica mais fina, o efeito fica mais pequeno, onde fica mais grossa, o efeito é mais largo. E pronto, já aprendi muita coisa, agora só falta, a prática.

5 comentários:

  1. Para quem nunca craquelou :) está muito bem,acho que ficou perfeito,tem imenso gosto.Eu nunca craquelei,hehehehe
    Jocas

    ResponderEliminar
  2. Olá!
    Obrigada pela simpática visita!
    A caixinha ficou maravilhosa!
    Uma óptima semana.
    Beijinhos,
    M. Céu

    ResponderEliminar
  3. Vim ver o seu blog através da indicação da nossa amiga comum V. Devorei o blog de uma ponta a outra. Li os textos todos e gostei muito da forma como apresenta os trabalhos. Vou vir aqui tomar cházinho muitas vezes.
    Obrigado pelo companhia
    Isabel Marques

    ResponderEliminar
  4. olá:)tudo bem?
    regressei depois do casamento...e lua de mel..voltei para acompanhar os trabalhos,e matar saudades dos vossos cantinhos beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Olá, obrigada pela visita ao meu blog e pelos comentários, vim visitar o seu e também gostei do que vi, esta caixa em craquelê ( também nunca sei o termo certo) é dos meus encantos pois é uma luta constante para o fazer, agora faço o de cor, mas hoje comprei o de um passo para experimentar.
    Parabens, volte sempre que é bem vinda

    ResponderEliminar