quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Posso oferecer um chá?


    Sempre que ponho aqui no blog uma peça nova, gosto de lhe acrescentar umas "palavrinhas". Isto para não parecer que está desprovido de alma, que é "chega vê a fotografia e vai embora". Não, ... fiquem para um cházinho ... neste caso : )

    Mas para esta caixinha estava dificil, já a fiz há uns dias e sempre que tentava mostra-la no blog as palavras que a acompanhavam não combinavam com a peça, era forçado ... nada tinha de expontâneo, ficava a pensar, a pensar ... para que ficasse "bem", e depois não saía nada de jeito.

    E porquê?
    Esta caixa foi feita à pressa, pincelada para aqui, pincelada para ali e tinha que ficar pronta.  Não sei se foi dos pincéis ou da habilidade, mas a verdade é que não ficou o que eu imaginei ...
    Resumindo, é uma caixa sem história, das que se fazem, só para ficarem prontas ... e para uma caixa sem história, não se pode escrever uma ... ou pelo menos, uma que seja a sua ...

terça-feira, 28 de setembro de 2010

O sorriso do Faísca

    
    Quando pintava uma das  primeiras caixinhas que fiz, estava eu atarefada a treinar florzinhas e bonequinhas, quando uma voz por cima do meu ombro sussurou : " Eu gostava era do Faísca". Na altura sorri, e guardei o pedido no subconsciente, que é como quem diz, nunca mais me lembrei até há uns dias atrás.

    Este conjunto foi todo pintado à mão, como sempre, pois ainda não me aventurei na técnica de decoupage (guardanapo). Ainda cheira a verniz, mas o Faísca já provocou um sorriso bem rasgado na cara de quem fez o pedido.

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

E agora uma boneca!



    Esta boneca esteve "em prova" durante, talvez mais de um ano. Fiz o corpo, cozi-o e bordei a cara, mas quando fui montar a cabeça faltava uma peça e "ca dê  o molde"? não havia! Desisti ... chateei-me e ficou esquecida, embrulhada nos próprios tecidos e guardada em casa da mãe ...
    Até que um dia a minha mãe, cansada de ver aquele impace a ocupar-lhe espaço, pôs mãos à obra, improvisou  a peça que faltava, fez-lhe o vestido e devolveu-me a boneca.

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Coisas simples ...

     "Tudo tem a importância que se lhe atribuí"! Ora, cá está um valente clichê, mas com algum significado pois não deixa de ser verdade ... vistas bem as coisas, todos os clichês, chavões, frases-feitas e afins têm, - ou tiveram quando foram ditos pela primeira vez - a sua profundidade, depois passam a ser apenas banalidades, pronunciadas de vez enquanto por quem quer "fazer bonito" e ouvidas com um sorrisinho maldoso nos lábios, por quem gosta de se sentir acima destas panaceias, ou remédio para todos os males ( pois estive agorinha mesmo a ver o significado da palavra), que é como quem diz, serve em todo o lado e em toda a ocasião, desde o funeral, até as compras no talho ... passando pelas coscuvelhices da vizinha do lado. Tudo terá a importância que se lhe atribuir!! Sim senhor!!
    Mas não nos desviemos do assunto "importante" que aqui me trás:  o meu ursinho cor-de-rosa!! E se já deu para perceber que tudo é relativo, porque não dar a devida importancia ao meu ursinho? Não será uma obra para guardar na posteridade, não será um molde para todos os ursos que hão-de vir, mas deu-me um gozo imenso fazê-lo! E assim, o meu dia foi um bocadinho melhor ...






E já agora, para quem quiser experimentar, aqui ficam os moldes.



E bom trabalho!!

terça-feira, 21 de setembro de 2010

domingo, 19 de setembro de 2010

Flores de feltro



    Quando a rotina se instala na vida das pessoas, os dias vão perdendo o brilho, as horas são demoradas, e é mais díficil arrancar um sorriso. O trabalho, de tantas vezes repetido, deveria ir atingindo a perfeição. Mas isso não acontece, bem pelo contrário, quando a rotina se impõe, o trabalho, que até então estava "bem  feitinho", vai perdendo a graça. E isto aplica-se a tudo na vida.
    Então há que experimentar coisas novas, ou então nunca perder o encanto pelas velhas, o que interessa é manter sempre o brilho no olhar, e o coração a bater forte de entusiasmo, por algo que se faça, por algo que se veja ou por algo que se sinta.

    E isto tudo para dizer, que experimentei uma "coisa" nova  ... ah! ahhhh!! Feltro!!  E gostei muito. A primeira impressão foi que era relativamente fácil de trabalhar, mas a verdade é não saiu bem à primeira, requer trabalho... os pontinhos devem ficar muito certinhos e o corte direitinho, senão, não fica nada de jeito.
Então reformulei a opinião inicial e agora acho que " é relativamente fácil fazer mal feito".

    Estas flores foram "feitas a olho" pois não tinha moldes, nem tão pouco me lembrava do sítio onde as tinha visto.
    E para que servem?
    Estas vão servir para colocar nuns cortinados lisos e assim dar-lhes alguma cor. Já fiz as grandes, agora faltam as pequenas.

    Boa semana!!

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Quadro com cactos


Este quadro feito a ponto cruz, foi uma mistura de vários esquemas. Segue ainda esta semana para a loja para ser emoldurado. Gostei bastante do resultado, e acho que vai ficar muito bem na parede da cozinha.

Já sei ( porque sabia e também porque me disseram) que as fotografias que tenho posto no blog podiam ter outra qualidade, mas está nos planos ler uns manuais de fotografia e melhorar a técnica, não só para que o blog fique "bonitinho" mas também pelo prazer pessoal.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Sentimentalismos ...


O fim de semana foi pouco produtivo no que diz respeito a trabalhos manuais. Outras prioridades ...
No entanto, bem lá no fundo do baú, fui encontrar este cavalo e o motivo pelo qual mereceu atenção foi o facto de já ter sido feito há muitos,  muitos anos ... foi dos primeiros trabalhos que bordei a ponto cruz, lembro-me que usei as linhas da minha mãe e as cores, foi o que havia na caixa ... Achava que o esquema era muito pequeno, por isso, por cada ponto no esquema, eu fiz quatro pontos e assim dupliquei o tamanho do cavalo.

Mas o mais interessante deste cavalo são as lembranças que trás,  a vida que era bem diferente, nem melhor, nem pior, simplesmente diferente ... lembro-me que por esta altura lia um livro de Milan Kundera que nunca terminei, porque simplesmente achei intragável ... será que se voltasse a ler este livro, agora passados tantos anos, iria gostar ? 

Este cavalo, provavelmente nunca terá direito a moldura, mas tem concerteza um lugar especial no baú das recordações, pela ternura que me inspira e pela docura do olhar do cavalo, que talvez só os meus olhos a vejam ... 

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Candeeiro



     Este candeeiro é um restauro. Quando comecei não sabia muito bem o deveria fazer, nem tinha qualquer ideia do que poderia sair daqui. Tinha um candeeiro todo amarelo e queria alguma coisa cor-de-rosa ... ficou assim. Mas não está fora de questão uma segunda versão ...
        Os próximos trabalhos vão mudar de cor, parece-me que já há rosa suficiente.


quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Mais uma caixinha


Pensava eu que esta caixinha seria a última durante uns tempos ... mas parece que não ... pelo menos mais duas já estão em agenda.

Entretanto vou desenvolvendo outro tipo de trabalhos - os bordados - que são mais a minha área, tenho vários em mãos e a próxima tarefa é acaba-los a todos, não gosto muito da ideia de começar tudo e não acabar nada.

Passo a passo - como pintar uma caixinha de madeira

       Como já tive oportunidade de dizer, comecei a pintar estas caixinhas recentemente, aprendi numa revista que tinha um tutorial muito interessante e depois fui tirando as dúvidas com a senhora da loja onde costumo comprar as tintas,  que é de uma simpatia muito grande e demonstra sempre muito boa vontade em explicar e ajudar.
      
Então cá vai ...

1º passo - a preparação da peça:
     Limpar a peça muito bem com um pano e aplicar uma base de artesanato em toda a superficie, deixar secar bem;
     Depois de seca, lixar a peça, com uma lixa fina, até que a peça fique suave ao toque;
     Limpar o pó com um pano ou um toalhete dos bebés;
     Fazer nova aplicação da base de artesanato;

2º passo - dividir os espaços
     Para que os motivos fiquem bem colocados na peça, esta deve ser dividida com uma régua de acordo com o que se pretende. Deve ser utilizado um lápis amarelo.

3º passo - passar o risco para a peça
     Se preferirem utilizar riscos já feitos, existe na net vários blogues onde se podem retirar os riscos e adapta-los ao que queremos, tamanho, cores, etc ... Para passar o risco para a peça, utilizar o método do decalque feito com papel vegetal.

4º passo - acabamentos
     Quando os motivos estiverem pintados, deixar secar e depois aplicar um verniz  para impermeabilizar a peça.

        
          E agora não digam que não conseguem ... que não sabem ...
          Não é dificil e ajuda muito a descontrair. Os primeiros trabalhos talvez não fiquem brilhantes, mas o segredo é não desistir, treinar e querer aprender. Eu cá continuo a aprender com os erros e as críticas.

Bons trabalhos!!

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

São rosas senhor ... são rosas...


      Estas rosinhas feitas em fita de seda  resultam muito bem quando aplicadas nos trabalhos. São fáceis de fazer, mas é preciso apanhar o "jeito". Há imensos videos na net a explicar como se faz, basta fazer uma pesquisa com "rosas de fita". Quem não quiser ter esse trabalho, pode comprá-las já feitas numa retrosaria, custam 15 cêntimos cada uma, e há várias cores. Confesso que a primeira tentação foi mesmo essa, mas já não havia rosinhas cor-de-rosa, então fui "obrigada" a aprender a fazê-las, e ainda bem, porque com tecidos de várias texturas e tamanhos, obtêm-se resultados muito engraçados e diferentes.

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Tapete de Arraiolos



     Gosto muito de Arraiolos, da cidade e dos seus tapetes.  Apesar de gostar imenso de os bordar, existem dois contras muito grandes, o pó que deitam quando se está a bordar e as dores que provocam nos braços. Mas não desisto facilmente, ou pelo menos tento ... : ) e neste momento estou "a braços" com uma passadeira de 3m por 70 cm ... vai dar pano para mangas ...

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Segunda tentativa

Quando vi estes desenhos da Sarah Kay, pintados por alguém que admiro muito e que acho que faz uns trabalhos extraordinário, fiquei rendida. Assim, fiz uma versão personalizada e fui em frente. Gostei muito de pintar esta menina, e penso voltar a repetir a experiência. Esta foi a segunda caixinha que pintei, quanto à terceira, foi o primeiro post que coloquei e a quarta já esta em execução. Depois penso fazer uma pausa das caixinhas, que apesar de gostar muito de as fazer, já estou aqui a pensar noutras coisas ...


    

A primeira caixinha


Esta foi a primeira caixinha que pintei. Pretendia oferece-la, mas acabei por guarda-la, por achar que não tinha ficado muito bem.

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Quadro a ponto cruz





   Confesso que não sou uma grande entusiasta do ponto cruz, faço, quando não tenho mais nada para fazer. Este quadro já o fiz há uns  anitos, mas só recentemente foi emoldurado. Apesar de tudo deu trabalho, e demorou algum tempo a fazer.  


Caixa de Costura

Na minha terra há um ditado popular que diz "quem tem tempo faz colheres". Eu sempre que tenho tempo, aproveito para fazer os meus trabalhos. São as minhas "coisinhas", principalmente bordados que fui apendendo com a minha mãe que é dona de umas verdadeiras mãos de fada e imenso talento. Conto publicar alguns trabalhos dela.
Curiosamente o primeiro trabalho que publico é uma Caixinha de madeira,  nunca tinha experimentado a pintar, mas há uns meses atrevi-me e até gostei do resultado.  Esta não é primeira que pinto, é já a terceira, e claro que com a experiência conto ir melhorando a técnica.
 Por isso criei este blog, onde pretendo ir mostrando os meus trabalhos, aprendendo novas técnicas e ir partilhando o conhecimento.
Estou a preparar um passo-a-passo para explicar como se pintam, para que quem acha que não consegue, experimente e se surpreenda com o resultado.


E por dentro ...


Esta caixinha de costura ficou pronta esta semana e vai ser uma oferta para uma costureira. 
Agora, vou procurar no baú, trabalhinhos antigos para mostrar.