sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Rosa menina!!


Tal como prometido, esta é para a menina!!

Como tinha que fazer duas caixinhas, uma para um menino e a outra para uma menina, as primeiras cores em que pensei foram no verde e no amarelo, sinceramente acho que ia ficar muito bonito. Mas depois vem o segundo pensamento, será que os papás vão gostar? ... verde e amarelo não são cores fáceis. Há outra opção, fazer as duas azuis, humm .... e porque não as duas cor de rosa? Talvez o melhor, seja mesmo ir pelo habitual, azul para o menino e rosa para a menina.  Bem sei que assim o mundo não "pula nem avança" como diria o poeta, mas não me parece vir grande mal à humanidade pelo facto de tradicionalmente o azul ser do  menino e o rosa da menina. Quando apetecer, muda-se a regra ...

terça-feira, 26 de outubro de 2010

É p'ro menino e p'ra meniiiiina!!

Não!!
Esta é só para o menino ... a da menina fica para amanhã, porque hoje não há tempo para mais ...

domingo, 24 de outubro de 2010

O meu tempo



   Quando criei este blog, estava longe de imaginar que pelos meus pincéis iriam passar tantas caixas ... se por um lado gosto, porque é novidade e vou treinando, por outro começa a ser mais do mesmo. Há tanta coisa que gostava de fazer ... e outras tantas para aprender!!
   Mas o grande problema  é o Tempo ... esse malvado que nos aprisiona, que nos condiciona e que passa por nós sem dó nem piedade. Gosto de fazer os meus trabalhos com calma, de sentir o que vou traçando, de parar para ver se gosto, de "apagar" e recomeçar de início, se for caso disso. Mas depois, lá vem o nosso ditador, o Tempo, que nos faz correr, fazer por fazer, só com o objectivo de terminar, porque ele não pára, e a seguir a isto vem aquilo, e o tempo sempre a andar e nós sempre a correr.
   Mas ás vezes é bom trocar as voltas ao tempo, deixar as obrigações de lado e fazer o que deve ser feito ... com tempo, como se o nosso tempo nunca fosse acabar. E foi isso que eu fiz, durante uns dias não fiz nada que não me apetecesse fazer, aprendi muita coisa nova, muitos bordados, com quem os sabe fazer, bem feitos. Mas o Tempo, sem tempo, acabou e houve o regresso à realidade, onde o tempo conta e tudo gira em torno dele. Agora só me resta poupá-lo, para conseguir fazer tudo o que aprendi, e tudo o que tenho planeado.

   Pois bem, esta caixinha foi feita com tempo, não importa se ficou perfeita, ou nem por isso ... importa que lhe dediquei o meu tempo, que lhe imputei sentimentos ... Foi a primeira vez que pintei uma rosa, por isso não olhem muito para ela, pode não ter espelhada a beleza das rosa, mas tem o seu perfume e isso .... ahh, ahhh ... é só meu, e só eu posso cheirar ...

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Eu e os castanhos

  

    Parece que estou na "fase" castanha, ultimamente há muitos tons de castanho nos meus trabalhos, tanto nos que tenho mostrado, como nos que ainda não tive oportunidade para isso. É possível que seja influência do Outono, porque gosto das cores do Outono ... mas a bem da verdade gosto das cores de todas as estações do ano: gosto do cinzento do Inverno, do verde da Primavera, do azul do Verão e do castanho (e das castanhas eheheh) do Outono. Talvez, porque se não procurarmos o que há de melhor em cada coisa, andamos sempre a queixar-nos. Neste caso, que no Inverno faz frio, que na Primavera temos alergias, que nos Verão faz calor e no Outono não temos o que vestir ... por isso tudo depende "DO" ponto de vista ... digo eu ...

   Acho que o efeito do quadro ficou amoroso, os tons são realmente encantadores e o tema permite-nos sonhar um bocadinho acordados, e isso infelizmente não é mérito meu, mas sim de quem idealizou este esquema... Se alguém quiser, posso envia-lo por email, mas aviso já que é um bocadinho chato de fazer ... mas eu sou suspeita para dizer isto, porque o ponto cruz não é das coisas que mais me encantam, mas gosto ...

    Como também já tive oportunidade de dizer a fotografia não é o meu forte e este exemplo ilustra bem ... não consegui tirar uma fotografia em condições, se ponho flash na máquina, parece que espelha e fica com uns efeitos brancos estranhos, se não ponho, fica tremido ...

domingo, 10 de outubro de 2010

Craquelando


    Ora cá está mais um termo novo no meu dicionário: Craquelar!!

    Estava decidida a experimentar esta técnica, pois acho o efeito bem interessante, mas não sabia por onde começar. Fiz uma pesquisa rápida na internet, fiquei com umas "luzes" e lá vou eu para a minha lojinha de eleição, onde a dona está sempre disposta a ensinar. A um passo da entrada, instalou-se no meu cérebro uma dúvida, não direi existencial, mas pelo menos pertinente:  Como é que se diz? Craquelé, ou Craquelê? E foi, ainda com esta questão na cabeça, que pedi à senhora tintas de craque... e o resto não disse, tossi, espirrei, bocejei, nem sei já ... mas sei que não disse a última sílaba. Para bom entendedor meia palavra basta e a senhora mostrou-me o que tinha, desde o mais caro, ao mais barato. E é então que se instala a 2ª dúvida: E agora, o que é que eu faço com isto? Sempre atenciosa, a senhora iniciou uma longa explicação. Entretanto resolveu o meu primeiro inigma, diz-se Craquelê. Durante a explicação ouvi palavras que nunca pensei existirem: Craquelar, Craquelado, Craquelador, e por ai fora. Confesso que me distrai (mas só um bocadinho) durante a explicação a pensar se esta palavra existiria mesmo no dicionário, e perdi-me um pouco a tentar conjuga-la " eu craquelo, tu craquelas, ele craquela ..."
    Quando cheguei a casa, e já a saber "craquelar" (pelo menos na teoria ) a primeira coisa que fiz foi ir ao dicionário ver se a palavra existia ... e ...ohhhh ... não há o verbo craquelar ...procurei em vários dicionários, mas nada. Foi então que pensei,  deve ser como o verbo "stress" que já o conjugamos de todas as maneiras e feitios e a palavra não existe nos dicionários portugueses. Mas, por via das dúvidas fui confirmar e desengano dos desenganos, lá estava no dicionário da Porto Editora o verbo stressar ... verbo transitivo, que significa provocar stress ou tensão em ... ou verbo intransitivo, que significa estar num estado de stress ou tensão.
E já agora, sabiam? Pois eu não ...

    Quanto a Craquelar, também ainda não sei muito bem, mas depois desta experiência acho que consegui perceber porque o craquelê não ficou uniforme, tem a ver com a tinta que tem uma consistência pastosa, e onde a camada fica mais fina, o efeito fica mais pequeno, onde fica mais grossa, o efeito é mais largo. E pronto, já aprendi muita coisa, agora só falta, a prática.

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Todos os Nomes


     Quando alguém nos diz que se chama Ana, ficamos sempre à espera de mais qualquer coisa. Quase sempre o nome Ana é um prefixo de outro nome qualquer: Ana Maria, Ana Isabel, Ana Paula, Ana Rita ...  Mas esta é uma ilustre excepção, Ana e apenas isso.
    Não estou a entrar nas paranóias do Sr. José, trabalhador de um cartório, do romance do Saramago que começa uma busca de nomes e vidas anónimas, nada disso ... apenas gosto de nomes. Também não partilho da opinião que um nome encerra o destino de uma pessoa, mas acredito que um nome tem um significado, e não precisa de ser o mesmo para todos nós. Pessoalmente acho que o significado de um nome está ligado a uma caracteristica marcante na personalidade de alguém que conhecemos (e que tem esse nome).
    Um dos que mais gosto é Helena, mas curiosamente a única Helena de que me lembro, era a D. Helena, uma senhora de feições graves, vincadas por muitas rugas e o cabelo grisalho apanhado num carrapito. A D. Helena sempre que passava por mim na rua, esboçava um sorriso sem dizer uma palavra. Na minha timidez de adolescencia levantava os olhos do chão e deparava-me com aquela face dura, iluminada por aquele sorriso, um dos mais doces e sinceros de que me lembro.
   Sempre achei que se um dia tivesse uma filha se chamaria Maria Helena, mas a vida dá muitas voltas, não é? : )