domingo, 23 de janeiro de 2011

Eleições

     Parece que o partido vencedor foi a abstenção, será que os politicos deixaram de merecer o voto dos portugueses?

     Durante décadas,  muitas pessoas lutaram pelo direito ao voto, pelo direito de intervenção activa nas decisões que a todos interessam,  e é a isso,  que se chama democracia. O voto foi uma conquista, por isso e por principio todos deveriam utilizar esse seu direito ou obrigação. Mas não o fazem, uns porque acham que não vale a pena, outros porque está muito frio para sair de casa e outros ainda porque acham que os políticos deixaram de o merecer. Sim, porque se o dever de votar, foi um direito conquistado pelos cidadãos, a conquista de um voto por parte de um politico também deveria ser celebrado com respeito e responsabilidade na utilização desse poder que lhe foi concedido. E isto serve para todo o tipo de eleições.  
     Independentemente de eu  usar, ou não o meu dever/direito ao voto, devo dizer que respeito tanto os que sentem a obrigação de o fazer, como os que acham que não votar é uma forma de alertar consciências, contribuindo assim para a abstenção e alertando os políticos que deixaram de merecer uma deslocação às urnas. 
     Depois de tanto direito de antena, de tantas horas dedicadas às eleições nos vários jornais televisivos e de tanta tinta gasta nos jornais por este pais fora, não é díficil concluir  que esta campanha teve pouca dignidade, que os políticos se perderam em coscuvilhices, em conversas de cabeleireiro ou taberna, e no que era bom saber, no que interessava a todos, pouco ou nada se falou.  Não se trata da conversa de sempre contra os politicos, contra tudo e contra todos, trata-se sim do direito que todos temos a exigir respeito de quem nos governa. E todos nós, contribuintes  que pagamos e sustentamos o estado, os politicos e o País, temos esse direito, assim como também o tem, a geração que se prepara para o futuro ou a geração de reformados.
    Desta campanha e eleições sem história , fica na memória o Sr. Coelho que nos animou, e nos fez sorrir com a sua paródia. Valha-nos isso ... mas merecia-mos mais, não acham?


1 comentário: