quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Miminhos azuis e rosa




    Hoje venho mostrar uns miminhos para  bebés. Espero que sirvam para limpar muita baba, muita papinha e tudo o mais a que tiverem direito. 
     O cor-de-rosa está muito mimoso, é pena a foto não lhe fazer justiça, para completar o conjunto ainda falta a mantinha e a fralda.

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

"Tralhas" que custam uma vida!


    A criação deste blogue, foi uma ideia feliz, foi o incentivo a por em prática o que queria há muito: fazer alguns trabalhos manuais que me permitessem parar o stress, relaxar e apenas pensar em algo que gostasse de fazer. E fazer o que se gosta e nos descontrai, nem que seja apenas durante um pequeno período de tempo é quase um luxo. Diria mesmo que é uma terapia dos tempos modernos, já que a vida dos nossos dias é uma loucura completa, se não nos obrigar-mos a parar de vez enquanto, tornamo-nos em autómatos, cada um com a sua função. Vamos vendo a vida, a nossa própria vida como um sonho, cada vez mais longe de alcançar, em vez disso sentimos na pele uma vida que nunca poderiamos acreditar que um dia fosse a nossa. Depois perguntamo-nos porque estamos descontentente, não nos falta quase nada, temos todos os bens materiais para sermos felizes, mas falta o essencial, tempo para viver uma vida com alma. É por isso que conheço muita gente que vai largando as suas vidas de conforto e procurando cada vez mais o contacto próximo da natureza. Muitos substituiram os seus tempos de lazer em frente ao televisor ou no conforto quentinho do lar, pela  agricultura, pelo desporto, pela jardinagem ... e sentem-se mais felizes e com uma energia que nem suponham possuir. 
     Agora imaginem, que alguém depois de muito pensar, começava  a chegar à conclusão que talvez valesse a pena, viver uma vida com menos  "tralhas" mas com mais intensidade, com mais tempo para as coisas. Levar os filhos à escola, sem correrias ... ter tempo de olhar para tras e acenar um "adeus, porta-te bem". E ficar parada, só a vê-los afastarem-se ... sem pressas, ter tempo para ler um livro ... ter tempo para não fazer nada ou para fazer tanta coisa. À primeira vista, a ideia parece uma loucura, mas à segunda já é uma tentação ...
    

domingo, 23 de janeiro de 2011

Eleições

     Parece que o partido vencedor foi a abstenção, será que os politicos deixaram de merecer o voto dos portugueses?

     Durante décadas,  muitas pessoas lutaram pelo direito ao voto, pelo direito de intervenção activa nas decisões que a todos interessam,  e é a isso,  que se chama democracia. O voto foi uma conquista, por isso e por principio todos deveriam utilizar esse seu direito ou obrigação. Mas não o fazem, uns porque acham que não vale a pena, outros porque está muito frio para sair de casa e outros ainda porque acham que os políticos deixaram de o merecer. Sim, porque se o dever de votar, foi um direito conquistado pelos cidadãos, a conquista de um voto por parte de um politico também deveria ser celebrado com respeito e responsabilidade na utilização desse poder que lhe foi concedido. E isto serve para todo o tipo de eleições.  
     Independentemente de eu  usar, ou não o meu dever/direito ao voto, devo dizer que respeito tanto os que sentem a obrigação de o fazer, como os que acham que não votar é uma forma de alertar consciências, contribuindo assim para a abstenção e alertando os políticos que deixaram de merecer uma deslocação às urnas. 
     Depois de tanto direito de antena, de tantas horas dedicadas às eleições nos vários jornais televisivos e de tanta tinta gasta nos jornais por este pais fora, não é díficil concluir  que esta campanha teve pouca dignidade, que os políticos se perderam em coscuvilhices, em conversas de cabeleireiro ou taberna, e no que era bom saber, no que interessava a todos, pouco ou nada se falou.  Não se trata da conversa de sempre contra os politicos, contra tudo e contra todos, trata-se sim do direito que todos temos a exigir respeito de quem nos governa. E todos nós, contribuintes  que pagamos e sustentamos o estado, os politicos e o País, temos esse direito, assim como também o tem, a geração que se prepara para o futuro ou a geração de reformados.
    Desta campanha e eleições sem história , fica na memória o Sr. Coelho que nos animou, e nos fez sorrir com a sua paródia. Valha-nos isso ... mas merecia-mos mais, não acham?


quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Saquinho multiusos ...

  

    Hoje tinha um texto (por sinal muito negro)  sobre a nossa economia, para acompanhar este saquinho. Mas o que é que uma coisa tem a ver com a outra? Até tem .... :) mas isso são outros quinhentos ...
    No entanto, decidi não o publicar, de desgraças já estamos todos fartos e o que lá está, já todos sabemos. As causas estão à vista e as consequências logo se verão. Mas acho que ainda não interioriza-mos o que nos espera... bem, lá estou eu ...  

    Mas falando do saquinho, ele pode ter muitas finalidades. Este é para mim e vai servir para guardar  produtos de higiéne.  Mas pode também servir para os nossos governantes irem pedir uma esmolinha à Alemanha, ao Qatar ou à China, tem um fecho para não perderem nadinha do que cair lá dentro...

    Não sei se dá para ver, mas hoje estou um bocadinho chateada ... mas amanhã já passou .... :)
    Por outro lado estou muito orgulhosa do meu saquinho, os acabamentos estão como eu gosto, bem perfeitinhos. Tem um bordado feito em estopa de linho. Gosto de fazer este ponto, porque se faz depressa e fica amoroso.

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Mais uma caixinha



    Pois é ... mais uma caixinha!! Não será bem  "mais uma",  pois esta foi feita especialmente para uma menina de quem gosto muito, e que tem assim, um ar doce ...
    Gostei muito de a fazer, aliás, gosto de fazê-las todas, mesmo quando o resultado não me satisfaz completamente, a verdade é que me divirto bastante. 

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Andando a passo de caracol ...mas sempre andando!!

    Há quem diga que "querer é poder". Pode até ser verdade, e  em muito o "querer" contribuir para o "poder". Mas se o "querer" ultrapassar os limites do razoável e entrar no domínio das alucinações, não há "poder" que aguente!
    E o que eu quero agora, e muito, é acabar uma passadeira em arraiolos que já está começada há uns bons 2 anos. Pela altura do Natal pensei, "deste Inverno não passa, vou acabar o raio da passadeira". E meti mãos à obra. Enquanto as mãos trabalhavam o cérebro não descansava e pensava "este vai ser o próximo trabalho que vou mostrar no blogue!!".  Loucura!! Insanidade!! Então se levei 2 anos a fazer a barra da passadeira, (que ainda não está  pronta) e a encher meia duzia de linhas, como haveria de termina-la em 15 dias? Corrijo, não são quinze dias, são quinze bocadinhos de noite ....
    No entanto, tenho trabalhado afincadamente em prol desse objectivo, e o avanço foi substancial, mas ainda falta ... oh, se falta!! Os braços já doiem, as mãos nem se aguentam ...  acho que ainda não é desta que a passadeira vê as luzes da ribalta, e se passar o tempo frio sem ser terminada, então só para o ano, porque tapetes de arraiolos, Verão e Teresa, não são compativeis.

  E assim, após este intervalo na dedicação ao blogue, por fidelidade exclusiva ao projecto "Passadeira", cá estou, rendida ao facto de que ás vezes, é preciso repensar e reprogramar o que já estava decidido, para poder seguir em frente.

  Mas .... e para não me dar completamente por vencida e cumprir  - em parte - o objectivo de ser a passadeira  o próximo trabalho a colocar no blogue, cá estou a mostra-la ...só que não está pronta  .... eh eh eh ...