quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Dias Felizes






Lembram-se dos cromos?
Eu tinha uma série deles, mas nunca completei a caderneta.
Estes desenhos da Sarah Kay são maravilhos, seja na infância quando nos deixamos levar pela imaginação, seja na fase adulta quando olhamos para eles e nos lembramos dos "dias felizes" da infância. A verdade é que em qualquer altura nos deixa com um grande e doce sorriso no rosto.

Estas telas são tipo "fast food" foram feitas para um momento especifico e para depois esquecer, mas foram ficando, ficando ... a acabaram por conquistar um espaçozinho ...

E já agora a caderneta hehehe ...

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Caixa de chá

     



      Hoje tenho para mostrar uma caixa  de chá, a tal de que falava no "post" anterior e que veio ao engano, pensando eu que era uma caixa de costura. Ao saber da história, a minha amiga O. disse que a queria, e cá está ela, terminada e já embalada, prontinha a seguir. Mas também esta caixa tem um passado bem atribulado, digno de um enredo dos velhos estúdios da Tobis eh eh eh ...Só que desta vez não vou contar a história, porque, por vezes a realidade de tão inesperada supera a ficção, e nós não queremos o cantinho da velha transformado numa espécie de Entroncamento das artes decorativas, ai sim, lugar de insólitos acontecimentos. Além de tudo o mais o artista tem que guardar os seus segredos para poder seguir em frente de cabeça erguida e ar confiante.
     Imaginem que começava aqui a contar histórias de craquelês que não craquelavam e craquelados supostamente sem craquelê  eh eh eh ...todos iam pensar que nestas artes do craquelê a velha é um bocadinho trapalhona, mas justiça lhe seja feita, também é teimosa que nem uma mula velha e não baixou as armas enquanto a "obra" não saiu ao seu jeito!!
    E assim, surgiu esta caixinha integralmente pintada à mão e com um craquelê bem "suado" .... eh eh eh ...  

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Quase, quase igual

  



    Ora cá está uma caixinha bem endiabrada que demorou a "sair", e fosse eu acreditar em bruxas diria que estava "carregadinha", como há semanas uma cigana me disse " ai filha, estás carregadinha!!" ...  como eu ia de mãos a abanar deduzi que o "carregadinha" tivesse uma conotação diferente de ir "carregadinha" de compras ... : )  Mas bruxas à parte, cá está a caixa prontinha!!   Mais uma caixa de costura, última por agora, que isto de se estar sempre a fazer o mesmo cansa um bocadinho. Era para estar pronta em Janeiro, mas ... e há sempre um mas ... hummm ... 

       Em Janeiro passei pela loja de artesanato e pedi uma caixa de costura, a senhora deu-me a caixa. Mas, quando cheguei a casa em vez da caixa de costura, tinha uma caixa chá. A loja fica fora de mão e só algum tempo depois voltei, não aquela, mas a outra que calhou  ficar em caminho, e lá comprei a caixa de costura. Comecei então o trabalho e já tinha parte pintada, quando reparei que o tabuleiro estava partido ... ai ... ai, ai ....  terceira tentativa,  comprei outra caixa, desta vez verifiquei-a ao pormenor, não fosse o azar estar à porta ...outra vez. Determinada a dá-la como pronta na sexta-feira passada, pintei a máquina de costura de preto, deixei secar e fui passar o verniz ... e não é, que a tinta não estava completamente seca  e ao passar com o pincel por cima da máquina, fiz um borrão de preto de uma ponta à outra da caixa .... ai ... ai ...ai ... se eu fosse menina para dizer palavras feias  .....

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Caixinha de costura





    "Quanto mais trabalho, mais sorte tenho!" Não sei se a frase será exactamente assim, nem sei bem quem a disse, penso que foi um antigo presidente dos Estados Unidos, mas para o caso isso não é importante. No entanto verdade seja dita, parece que esta meia dúzia de palavras se pode aplicar a muita coisa, não a tudo, porque infelizmente nem tudo tem a ver com trabalho, mas está visto que trabalhar ajuda, e muito, a atingir objectivos.

    Nesta nova forma que arranjei para ocupar os tempos livres, não posso dizer que tenho trabalhado muito, muito ... mas sempre que posso, trabalho e invisto o meu tempo em algo que gosto com dedicação, algumas vezes aparece a frustração, que vai servindo de incentivo para trabalhar mais e alcançar a satisfação do trabalho feito. (Esta frase está muito complicada, acho que nem eu percebi nada do que escrevi :) mas adiante ...  )Fico muito contente quando gosto de olhar para os trabalhos acabados porque os acho bonitos. É o caso desta caixa de costura, gosto muito dela. Foi integralmente pintada à mão, o desenho da máquina foi uma aventura consegui-lo, vi-o vezes sem conta na internet feito em decoupage , mas nunca encontrei o guardanapo, então lá consegui tirar o risco da net de uma forma muito tosca, dei um jeitinho no traço para que ficasse melhor e depois foi só pintar. Esta é a segunda caixa de costura que faço com este desenho, mas já ai vem a terceira, que está praticamente pronta, e a ver vamos se não há três, sem quatro. Alegra-me ver que a segunda ficou melhor do que a primeira e vou-me empenhar bastante para que a terceira fique melhor do que a segunda.

    Ah! já fui pesquisa na net quem foi o senhor que disse a frase, tinha razão foi um presidente dos EUA, não me lembrava do nome, mas também não vou jurar que alguma vez o soubesse ...foi o senhor Thomas Jefferson, que segundo estou a ver "pensou" muita coisa.