terça-feira, 24 de maio de 2016

A culpa é do tempo ... :)

... entretanto recomecei os treinos :)

    Já foram várias as tentativas falhadas de retomar as corridinhas de uma forma assídua ... mas há sempre uma desculpa para deixar para amanhã ... e os treinos acabam por ter intervalos de meses entre eles. Torna tudo mais difícil, é como estar sempre a começar do zero. A forma física é má, o excesso de peso evidente ...

    Para  um fim-de-semana levantei-me cedo, comecei as "arrumações"; o "velho" já tinha saído para ir andar de bicicleta ... " e se ..." nem pensei duas vezes, vesti o fato de treino :) calcei os ténis velhos e vi as horas, cinco para as nove, saí, desci pelas escadas ... lembrei-me que não tinha tomado o pequeno-almoço, voltei para trás ... subi pelas escadas, bebi o leite, comi uma torrada e fui a roer uma maçã enquanto descia novamente as escadas. Não voltei a ver as horas ...
    O percurso é quase sempre o mesmo ... as vistas são desafogadas ...  para lá sempre a descer  - todos os santos ajudam :) para cá sempre a subir - nem os santos nos valem :) . 
    As mão incharam ...  o bebedouro estava avariado e eu não levei a moedinha para o café, que poderia usar para comprar uma garrafa de água ... não fiz corrida ... caminhei em passo acelerado para ir adaptando o corpo ao esforço ... fiz o coração bater, não houve lesões nas pernas ... transpirei muito ... cheguei desidratada.
    Subi ...  não pelas escadas ... mas pelo elevador! 

    Voltei a repetir o treino duas vezes durante a semana, já não sinto tonturas :) as mãos continuam a inchar ... e no regresso já consigo subir pelas escadas  :)
    O carro não tem saído da garagem ... faço as compras a pé ... acarreto os sacos ... dói-me os braços.
    O "velho" insiste para que vá de bicicleta com um cesto para trazer as compras... se eu vivesse num pais rico, frio e de Invernos longos, faria todo o sentido ...mas, vivo num pais pobre, com sol e dias grandes - contradições ... e não tenho onde deixar a bicicleta se for fazer compras num supermercado ... nem noutro sítio qualquer.

    A bicicleta continua pendurada na garagem, com os pneus vazios ... o tempo não tem incentivado os passeios de bicla - desculpas  ... já faz tempo que fiz questão de conhecer as ciclovias de Lisboa ... algumas são um tormento ... um verdadeiro pesadelo. As pedras de uma calçada mal "amanhada" faz-nos sentir "chocalhados" ... :) É um desviar constante de caminhantes que "invadem" as ciclovias, mesmo quando ao lado têm um passeio enorme só para eles :) É um desvia "deste" ... quase bate "naquele" ...  há alturas em que os passeios e as ciclovias se fundem e  que nem os caminhantes, nem os ciclistas têm muitas opções.  
    O percurso entre Algés e o Oriente é agradável com o Tejo ao lado ... e é fácil ... apesar da ciclovia não estar, nalguns pontos, nas melhores condições ... pelo menos não estava. Dentro de Lisboa só ando nas ciclovias, o "velho" aventura-se por todo o lado: compete com os carros, com responsabilidade, e com um grande à-vontade ... ui ... :) que medo!! 

    Quanto à  foto-reportagem :) da caminhada terá que ficar para outro dia ... hoje, a chuva atrapalhou os planos ... :(

retirado da net ...  obviamente :)

   
    Fiquem bem
    Até breve ...


segunda-feira, 16 de maio de 2016

A cadeira ...

 

    Esta cadeira está muito ligada ao blogue, podia mesmo ser o seu logótipo. claro que só eu entenderia a mensagem - pelo que não seria um logótipo eficaz - mas, passo a explicar :). Já lá vão uns anos - creio que seis ou sete - que coloquei uma secretária num canto da cozinha, fui buscar a velha cadeira à arrecadação e concretizei uma ideia que já martelava há uns tempos ... ter um mini-atelier com linhas, tecidos, tintas e pincéis à mão de semear - ou melhor - à mão de bordar. 
    Sempre gostei destas artes que me valem nos momentos de maior stress, são o meu quebra-rotinas, aqueles momentos de paz ... A cadeira já acusava os usos e abusos que tinha sofrido :) Impossível de reparar só restava mesmo fazer uma capa nova que ficasse minimamente aceitável e condizente com o resto da cozinha. E foi assim durante estes anos, com uma capa sem grande história que nunca mostrei por aqui, esta cadeira foi a minha companheira de muitos trabalhos, de muitas partilhas neste blogue, de muitas horas suaves que me encheram de sorrisos, outras mais agrestes que me fizeram desesperar com um faz e desmancha até acertar. Muitas horas vagas foram aqui ocupadas, muitos pensamentos preocupados encontraram aqui soluções :)

    Mas tudo tem um fim e recentemente retirei a secretária da cozinha, lavei a capa da cadeira e ela ali ficou no seu pior estado à espera de uma solução ... :)  primeiro pensei em fazer-lhe um coxim, tinha uma sobra de lã de um projecto de camisola de criança  - que não ficou grande coisa - e comecei o trabalho, depressa de coxim passou a capa e  ... lá se foi a camisola ...  desmanchei-a e reaproveitei a lã :)
    A  camisola já tinha sido lavada algumas vezes por isso a lã estava mais fina do que a outra ... paciência :) Mesmo assim a lã não chegou e tive que improvisar as costas da cadeira  ... :( não ficou bem a meu gosto, mas  ... como a cadeira vai para o quarto da mais nova, houve "necessidade" de uns apontamentos de cor :) berloques, corações ... e cor de rosa ... a idade pede :)  
    E assim se reciclou uma cadeira e uma camisola ... o planeta agradece :)



    - E se já não tens atelier, onde vais fazer os trabalhos? - perguntará, ou não ... alguém mais atento. 

    Já há algum tempo que venho a reduzir a quantidade de trabalho que faço, apenas um ou outro bordadinho para oferecer num aniversário ou cá para casa ... e é assim que vai continuar ... fechar  o blogue foi uma hipótese considerada, mas a verdade é que gosto disto :). Talvez diversifique os temas, talvez mude o nome ao blogue ... talvez continue como está .. não sei ... vamos andando ao sabor das vontades! 
    Pois tudo o que não é por obrigação, que seja  pelo prazer ... :)




    Definitivamente prefiro a versão "cadeira sem coração" , mas há que respeitar as vontades ...


    Fiquem bem!
    Até breve